Esse amor que me faz Delirar - Dayane Ribeiro - Lançamento


Esse amor que me faz Delirar
Autora Dayane Ribeiro
Editora Autografia
Compre aqui
Site da Autora

Fernanda seria mais uma, entre tantas meninas, que chegam a São Paulo todos os anos, para perseguir uma carreira: alegre, sonhadora, inteligente e esperta. Não é a mulher mais linda do Brasil, mas se vira bem com seus cabelos castanhos e fartos, e seus olhos de corça. 
O problema é que ela é.... Um desastre ambulante! E quando falamos desastre... Bem, não é exagero. 
Ela participará de um concurso importante da Universidade, e para ganhar o emprego dos sonhos, não poupará esforços. Encantadora, virará motivo de disputa entre dois irmãos, que mais parecem água e vinho de tão diferentes. Estabanada, entre um concurso universitário, uma chance de mudar de vida, a possibilidade de escolher entre dois príncipes e descobrir se um deles, é ou não, de fato, gay... Não sobrará pedra sobre pedra.

PRÓLOGO - ESSE AMOR QUE ME FAZ DELIRAR:

Eu nunca bati bem da cabeça, a verdade é essa. Quando eu era pequena, meu apelido no bairro, era Fer Furacão. Pois é, um nome delicado como Fernanda, dado a uma matusquela, que era como vovó me chamava.

Vocês provavelmente estão pensando: ''caramba, essa menina devia ser arteira" e, posso falar? Estarão enganados... Eu simplesmente era desastrada, não do tipo fofo que bate a cabeça sem querer, ou tropeça e cai nos braços do garoto que viria a ser o amor de sua vida, nãoooo, meu estilo era derrubar a torre de latas de tomate no mercado, incendiar o laboratório de química, matar duas tartarugas atropeladas por patins... E isso foi só o resumo dos melhores momentos da sexta série.

Essa fama me seguia toda parte, portanto, imagine meu alívio quando eu completei dezoito anos, passei no vestibular para Publicidade e Propaganda, em São Paulo, e pude fugir dessa alcunha. A faculdade era particular, e ainda assim, muito concorrida. Era a queridinha das agências, e de lá saíam os grandes nomes da moda neste ramo disputado. Por isso, era com muito orgulho que eu enchia a boca para falar que a aluna de escola pública, leitora compulsiva de romances de banca (euzinha), ganhara uma bolsa de estudos pra lá de badalada, para estudar na escola dos filhinhos de papai paulistas.

Eu estava crente que era o começo da minha vida nova, que em um passe de mágica passaria a ser uma universitária charmosa, ou, se isso fosse esperar demais, pelo menos invisível, coisa que nunca consegui em meus sofridos anos de escola. Eu deveria ter imaginado que, obviamente, era esperar demais... Em apenas duas semanas eu já tinha um apelido e, com ele, uma fama: Fersastre. Triste, não?

Vocês devem estar curiosos sobre como isso foi acontecer, e eu vou contar... Esta é uma história maluca, engraçada para quem ri da desgraça alheia, uma trama que envolve também mentiras, traição, disputas universitárias, estágios concorridos, um animal da roça que foi parar em uma certa sala de reunião e surpreendeu um CEO de bunda de fora, flagrado com a secretária troféu, um amigo que eu achava que era gay... Ah! E o melhor de tudo... Esta é a história de como eu me apaixonei perdidamente...




Postar um comentário

[blogger][facebook]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget