O Visconde que me amava - Julia Quinn



A temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva.Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela.Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele.Enquanto faz de tudo para afastá-lo da irmã, Kate descobre que o visconde devasso é também um homem honesto e gentil. Ao mesmo tempo, Anthony começa a sonhar com ela, apesar de achá-la a criatura mais intrometida e irritante que já pisou nos salões de Londres. Aos poucos, os dois percebem que essa centelha de desejo pode ser mais do que uma simples atração.Considerada a Jane Austen contemporânea, Julia Quinn mantém, neste segundo livro da série Os Bridgertons, o senso de humor e a capacidade de despertar emoções que lhe permitem construir personagens carismáticos e histórias inesquecíveis.


Autora: Julia Quinn
Páginas: 290
Editora: Arqueiro
Onde Comprar: Amazon  //  Americanas  //  Submarino  //  Casas Bahia
Classificação:   


 Nesse segundo livro da série, temos a história de Anthony, o filho mais velho da família Bridgerton, que assumiu ainda muito novo, o cargo de chefe da família, após a morte de seu pai. Ele é um solteiro convicto e só queria aproveitar a vida sem se amarrar em ninguém, até que isso muda, pegando seus irmãos de surpresa.

"Ele tinha consciência de que não combinava com a imagem de um homem que sossegaria. Passara a última década praticando o pior tipo de libertinagem obtendo prazer onde pudesse. Como ele sabia muito bem, a vida era curta e, sem dúvida, deveria ser aproveitada."Página 22

Depois de decidir que arrumaria uma noiva, Anthony vai para os salões, mas não sem antes saber quem é a mais requisitada no momento, então assim ele começa a querer cortejar Edwina, uma moça de fora da cidade, que veio para debutar junto com Kate, sua irmã mais velha. Kate não gostou nadinha do interesse de Anthony por sua irmã, por causa de sua péssima reputação.

Através de seu irmão Colin, que conversou com Kate,  Anthony descobre que terá que ter a aceitação dela para poder cortejar Edwina e viu que não seria uma tarefa muito fácil.
Kate deixou bem claro para ele, que não o queria perto de sua irmã, pois não acredita que ele realmente queira sossegar e como ele vê tudo isso como um desafio, começa a afrontá-la, deixando-a bastante irritada.

O que Anthony não imaginava era que de certa forma Kate mexia com ele, certamente ela tinha uma beleza diferente de sua irmã, mas era bem sincera e inteligente e ele gostava disso, então por causa de um recital em sua casa, ele comprovou que ela poderia cer a mulher certa para ele, por isso queria de todas as formas afastá-la de lá, pois sentia medo desse sentimento que estava surgindo.
Kate com a convivência com Anthony, passou a ver o outro lado dele, o lado bom, viu que ele não era somente o libertino que ela pensava.

Por um acaso do destino e para defender sua honra, ele acaba se casando com Kate, a mulher que mexeu com ele de todas as formas possíveis, mas com a promessa de nunca amá-la por causa de seus temores e certezas.
erá que ele realmente conseguiu manter esse propósito?
Mais uma história mais que apaixonante.





Confesso que em O Duque e Eu, eu senti antipatia por Anthony por muitas vezes, por que ele levava muito a sério o seu papel de chefe de família e por isso sentia ele ranzinza as vezes. Mesmo levando esse lado tão a sério, ele tinha sua vida de libertinagem, procurando sentir prazer de todas as formas possíveis, então em O Visconde Que Me Amava, ele arrebatou meu coração  pois mostrou um lado dele que não ficou perceptível no primeiro volume, ainda mais por causa do seu dilema sobre a vida e sua convicção de nunca amar ninguém, até que Kate entra em sua vida, mudando tudo.

Julia Quinn, conseguiu fazer um enredo ainda mais fofo, com um romance lindo e os protagonistas cheios de qualidades e vários defeitos também.

A narrativa da autora é outro ponto forte do livro, tanto que eu em três horas eu terminei a leitura, completamente fascinada.

A revisão como sempre impecável, não encontrei nenhum erro.

A diagramação é simples, porém está muito bem feita e a capa é linda demais.

A identidade da autora do jornal de fofoca, ainda não foi revelada. Mega curiosa!




Postar um comentário

[blogger][facebook]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget