Ana Vitola - Entrevista

03 outubro 2015

Gaúcha, do interior do estado e com 24 anos. Estudante de Biologia e trabalha como Auxiliar de Saúde Bucal. Música e livros sempre a acompanham em todos os lugares, desde as filas no banco a viagens. Escrever tornou-se um alívio na correria do dia-a-dia, tanto que hoje anda sempre com um caderno a mão para rascunhar os próximos capítulos. Tímida até a pessoa a conquistar, depois, ninguém a segura. Seu primeiro trabalho, foi o livro "Meu Clichê" a venda na Amazon e hoje com o livro completo de "Por Acaso" contando a história da melhor amiga da protagonista do livro anterior.



Meu clichê

Compre na Amazon

Su é uma promotora de eventos que leva uma vida calma e tranquila com o Gato e seus instrumentos musicais. Segundo sua amiga Elis, falta apenas 39 Gatos para ela virar uma solteirona cercada de bolas de pelos. Ela, porém, não dá bola para o jeito que leva sua vida. É feliz assim na sua rotina de: trabalho - casa - voluntariado no orfanato local. No final de um de seus eventos, é avisada por uma funcionária que um dos convidados esqueceu o celular. Então ela vê sua vida virar de cabeça para baixo de um jeito que ela nunca poderia imaginar. Noah é um ex-modelo em fim de carreira, quer ser mais que um rostinho bonito. Ao perder seu celular em uma festa, não imagina que sua vida nunca mais será a mesma.


Por acaso

Acompanhe no wattpad

Sempre me chamaram de maluca, doida, parafuso solto e por ai vai. A infinidade de apelidos relacionados a isso sempre foi imensa. Eu sempre levei na brincadeira e confesso, adoro ser assim! Tenho a minha vida controlada e sei no que posso me meter ou não. Só tem uma coisa que me deixa mais maluca do que eu já sou, o fracasso em todos os relacionamentos que eu já tive. Vi a minha melhor amiga passar por tudo que é trabalho e mais um pouco para ser feliz, sei que não é fácil, e pelo visto andam caprichando no que eu vou passar para conseguir a minha felicidade. Mas agora tudo mudou, me meti na maior loucura que alguém possa imaginar. E no momento em que vi aqueles dois olhos, percebi que o meu coração não bate mais no meu peito, e tudo o que tinha sentido na minha vida, mudou.


LE – Como surgiu a ideia de escrever um livro?
Praticamente do nada. Estava em uma fase onde não encontrava nenhum livro que me agradasse e comecei a planejar uma história que eu gostaria de ler e com um enredo que me agradasse.

LE - Através da plataforma wattpad, seus leitores ficam bem próximo a você, até que ponto eles podem alterar os acontecimentos de seu livro?
Teoricamente nenhum, para o delírio delas. Quando me proponho à escrever uma história, tento me manter o mais fiel do inicio ao fim dela para não no meio da trama.

LE – Como foi a construção da Su e Elis ambas engraçadas e muito carismáticas? 
Me baseie nas amigas que todo mudo possui, uma maluca e a outra mais regrada e com seus dilemas com sua auto estima. Acredito que personagens “mais reais” chamam mais a atenção e cativam os leitores.

LE – Como lidar com as críticas negativas?
Ainda estou em processo de aceitação delas, não foram muitas, mas as que já tiveram resolvi tirar como lição para melhorar cada vez mais.

LE – Quais suas autoras favoritas no gênero chick lit?
Já li alguma coisa de Rachel Gibson e Sophie Kinsella, mas ultimamente só os meus que andam na minha lista de leitura. 

LE – Por Acaso está contando a história de Elis, como foi escrever sobre uma protagonista tão alto astral como ela?
Contagiante! Confesso que às vezes tinha um pouco de inveja da sua personalidade marcante e seu lado de sempre fazer piada das coisas que estão acontecendo ao seu redor. 

LE – Sempre leio seu envolvimento com as personagens, ao ponto se sofrer junto com elas, com todos personagens é desta maneira?
Com certeza! Me envolvo em todos os aspectos com os meus personagens. É como se desse mais realidade para a história deles. 

LE – Você aborda sobre Leucemia em uma criança, o que toca demais o leitor, como surgiu a ideia de abordar esse tema no livro e por quê?
O enredo da história me levou a esse tema. Queria que, através dele, os personagens crescessem como pessoas e acima de tudo juntos. 

LE – Seus novos projetos quais são? 
Terminei a postagem na plataforma de Por Acaso, e em breve voltarei com um spin-off de uma personagem e uma história de outro.




14 comentários

  1. Eu não curto chick lit, mas fiquei feliz em conhecer a autora, ler a entrevista dela, foi bacana, principalmente aparte em que ela diz que os leitores não interferem no processo de escrita. Isso é fundamental!

    ResponderExcluir
  2. Olá, que legal. Não conhecia a autora. Mas adorei conhece-la um pouquinho. E fico feliz pela boa recepção na plataforma. Muito bom ver cada dia termos mais escritores nacionais e destaques. Parabéns, pela entrevista.

    beijos

    http://www.livrosfilmeseencantos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia autora mas já gostei. Tenho colocado vários chick-lit na minha lista de leitura é um gênero que não costumava ler mas alguns livros que li me fizeram mudar de opinião. Adorei a entrevista, ficou visível o quanto a autora é dedica aos seu trabalho.

    Coração Leitor

    ResponderExcluir
  4. Oláá
    Não conhecia a autora mas as obras parecem ser bem legais apesar de não fazer meu gênero haha adorei a entrevista

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi, eu não conhecia a autora e adoro livros chick it e com certeza vou dar uma oportunidade a seus livros. Parabéns pela entrevista e sucesso a ambas
    bjus
    http://recantoliterarioeversos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Não sabia que o blog reservou esse mês pra falar de um dos meus gêneros favoritos, que mara <3
    Não conhecia a autora, mas gostei da premissa dos livros dela. Me fez lembrar da Meg Cabot.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?

    Ah, que amor! Gostaria muito de conhecer o trabalho da Ana! Gosto bastante de chick-lit e adooooro a Sophie! <3 A entrevista tá ótima e eu concordo com ela sobre os meus leitores não influenciarem na história que escrevo, porque acredito que, antes de escrevermos para um público, escrevemos para nós mesmos :)
    Sucesso à autora! :D

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia a autora, e achei diferente a forma como ela começou a escrever. Sucesso para ela.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  9. Não gosto de chick lit. Mas a entrevista foi legal e a autora parece ser simpática!
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  10. Não gosto de chick lit. Mas a entrevista foi legal e a autora parece ser simpática!
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  11. Não gosto de chick lit. Mas a entrevista foi legal e a autora parece ser simpática!
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  12. Oie, Joyce! Como cê tá?
    A Ana parece ser um amor. Mesmo não gostando do gênero, fico feliz em ver que autoras como ela estão ganhando espaço em blogs porque pessoas como você se dispõem a apresentá-la. Adorei. Ela é um amorzinho também.

    Com carinho,
    Celly.

    Me Livrando || Livre-se você também!

    ResponderExcluir
  13. Oie, tudo bom?
    Sou apaixonada pelo gênero e adorei conhecer uma autora nacional com bastante talento. Bom saber que ela já está com novos projetos em vista e adorei conhece-la um pouco mais. Também amo a Sophie Kinsella.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir