Deby Incour - Entrevista

23 outubro 2015


Deby Incour é brasileira e apaixonada por livros. Nasceu em uma grande cidade no Estado de São Paulo onde vive até hoje. No ano de 2015 teve seu primeiro livro “Um romance em Paris” lançado pela Editora Angel. No mesmo ano (2015), publicou sua segunda obra, “A babá nada Sexy”, um livro de autoajuda misturado com romance e uma pitada de comédia. Ele faz parte de uma duologia cujo segundo livro ainda não tem data para ser publicado, mas já se pode confirmar que não contará a história dos mesmos personagens. Deby é uma pessoa extrovertida, que ama ler e que consegue tirar inspirações das coisas mais bobas e loucas da vida.




A Babá nada Sexy

Compre no site da Editora Angel

Aos 27 anos de idade, Heloísa vê sua vida indo de mal a pior. Não seguir os padrões de beleza ideal para a sociedade dificulta ser aceita em um emprego. Após mais uma tentativa frustrada, ela é aconselhada a trabalhar como babá da filha de um homem arrogante e muito rico. Acreditando que não será aceita, candidata-se, mas algo inesperado acontece, ela é aprovada para o cargo. O que Heloísa não imaginava é que seu chefe é dono de uma agência de modelos e a criança da qual ela cuidará é uma menina doce, que só quer um pouco mais de atenção. Em meio a olhares tortos, coração acelerado e um apego enorme à criança, uma proposta surge e Heloísa a aceita, mas ela não imaginava o quanto isso mudaria sua vida e que acabaria se aproximando do arrogante, rico e totalmente sexy Eduardo, seu chefe. Um livro de autoajuda misturado com um lindo romance e uma pitada de comédia que vai te fazer querer ler do começo ao fim.


LE -Como começou a escrever ?

D.I – Eu comecei a escrever em 2014. Eu estava passando por alguns problemas chatos, que não merecem serem lembrados, e comecei a procurar aplicativos de livros para ler, e encontrei o wattpad. Meu primeiro livro a ler lá, foi o da Camila Ferreira “Descobrindo você” e foi ele quem me deu animo para escrever e me distrair com algo além dos problemas. Eu já escrevia antes, mas ninguém sabia, só que eu sempre odiava tudo, então eu apagava ou jogava fora. O primeiro que escrevi e que resolvi arriscar em mostrar para as pessoas, foi o “Um romance em Paris”, que me surpreendeu muito, pois na primeira vez postado no wattapad ele atingiu em duas semanas mil e poucas visualizações, e vários comentários, coisa que eu achei que NUNCA atingiria e que alguém comentaria, e assim senti motivação de continuar, mesmo sendo pequena perto de grandes autoras que havia lá. 

LE – Seu livro Um Romance em Paris, os protagonistas amadurecem muito no decorrer da história, como foi a criação de ambos os personagens?

D.I- Eu tinha 15 pra 16 anos quando comecei a escrever, e eu escrevia para me distrair com os problemas chatos em que eu estava passando. Acredito que no inicio os personagens serem chorões (risos), e um pouco infantis, tenha sido as minhas verdadeiras emoções que coloquei neles, e talvez seja isso que eu e algumas pessoas não tenha gostado, infelizmente. Mas quando os personagens amadurecem, são também meus sentimentos em cima deles. Este livro eu coloquei nos personagens o que eu sentia no momento em que eu escrevia, e até a parte onde os personagens não estão maduros, era o momento em que eu estava mal, me sentindo péssima, e acredito que talvez o amadurecimento tenha vindo devido EU estar esquecendo os problemas e escrevendo de verdade, sem colocar minhas tristezas na historia. Eu pequei muito com o inicio deste livro, e não faria novamente um livro quando eu estivesse passando por um momento difícil.

LE -Como foi o processo do wattpad até chegar a Editora Angel ?

D.I – Eu escrevi alguns livros depois do “Um romance em Paris”, que já saíram do wattpad. Quando eu estava escrevendo o ultimo livro, eu resolvi que estava na hora de tentar a sorte. Em outubro de 2014 (se não me falha a memória), eu comecei a procurar por algumas editoras, mas claro, não deixando de escrever no wattpad. Todas as editoras estavam com a cota de originais para teste encerradas, e só abririam novamente no meio de 2015 ou inicio. Até que eu descobri que um dos livros que eu lia na plataforma pertencia à dona da Editora Angel. Eu comecei estilo FBI a investigar qual era a rede social dela (eu sei, parece psicopata). Eu a encontrei e adicionei no facebook. Comecei a conversar com ela e descobri que ela lia meu livro e que gostava da história, ela pediu para eu mandar o original por email e que em breve daria resposta. Uns 15 dias depois eu recebi um email e tan...tan...tan... Meu livro tinha sido aprovado e eu quase que morri. (falo sério. – risos)

LE – Seu novo Livro A Babá nada Sexy fala sobre auto-estima e preconceito com quem está acima do peso, o que a levou a tratar desse tema em seu livro?

D.I – Eu estava cansada de ler e escrever livros com mocinhas magrinhas, e super sexy. Eu conheço pessoas que passaram e passam por preconceitos devido ao peso, e eu queria mostrar a elas que podem ser felizes, que podem encontrar um príncipe encantado. Eu queria mostra que na vida nem tudo se resume a padrões de beleza. Eu queria que as pessoas enxergassem que estar muito acima do peso prejudica a saúde, mas que elas não são menos bonitas, ou menos humanas por isso. 

LE – A Babá é seu xodó, conte-nos por quê?

D.I – Porque quando eu comecei a escrever achei que não funcionaria a mensagem que eu queria passar. Afinal, quase ninguém gosta de livro de auto-estima. Eu fiz este livro completamente diferente dos livros de auto-estima que vemos por ai e fiquei com medo. Mas quando eu comecei a receber diariamente mensagens de pessoas falando que voltaram a fazer curso, faculdade, usar vestido ou shorts, voltaram para escola, voltaram a comer, e pararam de fazer coisas completamente piores, graves e tristes, eu vi que eu tinha conseguido meu objetivo. Então foram essas pessoas, e todas que amaram o tema do livro, que tornou ele meu xodó.

LE -Qual seu gênero preferido de leitura?

D.I – Ai meu Deus, agora complicou. (risos) Eu sou bipolar para livros, depende do meu humor. Mas leio romance, literatura feminina, hot, suspense, drama, comédia, auto-estima, new adult, fantasia, fanfic... Eu leio de tudo um pouco, menos de terror, porque eu sou meio medrosa.

LE – Os autores nacionais vem ganhando mais espaço a cada dia, será que finalmente o preconceito contra autores nacionais está com os dias contados ?

D.I – Acredito que o preconceito não esteja com os dias contados, afinal, sempre vai ter um alguém para criticar, atacar, odiar, ou seja, os famosos Haters. Mas os autores nacionais estão mostrando o seu talento, e estão fazendo com que as pessoas leiam mais e isso é muito lindo. O Brasil conquistou o espaço dele na literatura, e tenho certeza de que os nossos autores vão conquistar o mundo inteiro, como muitos autores internacionais.

LE -Quais seus novos projetos ?

D.I – Tenho alguns livros sendo escritos, mas não sei quando serão lançados. No momento quero apenas finalizar os livros no wattpad, postar dois que prometi aos leitores, e depois tirar umas férias de escrever, para poder ler mais, e aumentar as idéias, e claro lendo mais aprenderei muito mais com a escrita, porque sou ainda uma aluna nesse mundo de autores completamente talentosos. 

LE -Como você lida com as críticas negativas e positivas ?

D.I – Antigamente eu surtava com as criticas negativas, mas hoje em dia nem ligo mais, porque sei que sempre terá alguém para criticar e se eu for me importar com essas criticas negativa eu vou pirar. Já as positivas eu guardo elas e tento muito melhorar através das dicas que me dão.

LE - Deixe um recado a seus leitores .

D.I – Meus amores, muito obrigada por sempre me ajudarem com mensagens positivas. O carinho que vocês têm por mim pode ter certeza de que é recíproco. Perdoem-me por não conseguir dar atenção maior a todos vocês, mas saibam que leio cada mensagem de vocês e guardo no meu coração. Eu quero muito que lutem por seus sonhos e que não deixem as pessoas maldosas detonarem eles. Sejam vocês e não mudem para agradar ninguém. Eu amo muito vocês e se hoje eu tenho esse reconhecimento que perto de alguns é bem pouco mas que para mim é ENORME, é graças a todos vocês. OBRIGADA!




Nenhum comentário

Postar um comentário