Brincar, clicar, amar - Giselle Sauer

03 maio 2016

Brincar, clicar, amar
Autora Giselle Sauer
Editora Belas Letras
Páginas 164
Skoob
Compre no site da Editora
Classificação: 

Quando alguém lhe falar que um dia você vai esquecer muitas coisas de quando seus filhos eram pequenos, essa pessoa está certa. Você vai esquecer a proporção do quão pequeno ele era quando nasceu, o real tamanho do seu pezinho, quando foi exatamente que o cabelo começou a crescer, ou até mesmo quando foi que a cor dos olhos mudou. Neste livro você vai encontrar dicas da fotógrafa de família Giselle Sauer para registrar esses momentos mágicos. Então pegue sua câmera ou celular e comece já a fotografar antes que seja tarde. Fotografe as coisas simples do dia a dia com quem você ama, como colocar os sapatos, vestir-se, escovar os dentes, secar os cabelos e as refeições em casa. Fotografe os abraços, os beijos, a carinha de sono, o acalmar de um choro. Fotografe o amor. Não deixe as memórias mais preciosas que você tem se perderem com o tempo.


Quem não ama fotografar, seja em que situação que for, hoje em dia com os avanços do celular com ótimas câmeras, fotografar é algo instantâneo, bastou surgir um momento importante, um sorriso, ou apenas um instante que iremos guardar para sempre.

A autora Gisele mostra nesse livro lindo, com fotos maravilhosas, momentos fofos de nossos filhos, desde seu nascimento até os primeiros passos, para as mães de plantão que vivem com o celular na mão para as fotos não pode deixar de ler esse livro com momentos importantes de nossos filhos, dicas para tirar as melhores fotos.

O livro é recheado de fotos lindas, com crianças nas mais diversas situações.

Não pude deixar de trazer uma participação especial de meu filho nessa resenha e fotos especias que guardo de meu anjinhos.

O livro está com uma edição linda como sempre a Editora é perfeita em suas edições, com capa dura e prefácio de Marcos Piangers o livro deve ser lido e guardado com muito carinho.







Como não poderia deixar de ser meus momentos mágicos registrados.


Acompanhe a entrevista da autora do livro



Você deve ter visto por aí algumas das fotos lindas que o papai mais pop do Brasil, Marcos Piangers, posta para ilustrar as suas crônicas sobre paternidade. A responsável por alguns dos cliques é Giselle Sauer, fotógrafa que se destaca pela simplicidade dos momentos que registra. Para Giselle, a fotografia deve acompanhar não só o crescimento de uma criança, como também as situações cotidianas que fazem parte da história de uma família.
Conversamos com a fotógrafa que lança neste mês Brincar, clicar, amar, um compilado de dicas e instruções para as mamães de primeira viagem que vão querer recordar os momentos dos seus pequenos no futuro.


Belas-Letras: De onde veio a sua paixão pela fotografia?
Giselle Sauer: Meu avô gostava de fotografar e então temos muitos registros de infância. Na adolescência eu sempre carregava uma câmera comigo, fosse uma descartável ou qualquer outra, e assim não deixava de registrar as coisas ao meu redor. Mas isso só virou um hobby oficialmente aos 30 anos e, uma vez que a gente ama muito um hobby, acaba por querer tê-lo como profissão. E foi isso que aconteceu.

BL: Qual é a maior dificuldade em fotografar crianças?
Giselle: É muito complicado enumerar dificuldades, pois com o tempo eu fui aprendendo que tudo precisa ser no tempo deles. Sempre me identifiquei com crianças, fui professora durante alguns anos e isso foi um aprendizado enorme. Por vezes eu acho que o mais difícil são os pais e as suas expectativas, as crianças estão sempre prontas para a folia e eu só preciso estar pronta para registrar suas façanhas.

BL: Qual é a sua visão e opinião sobre a fotografia digital e o fato de os velhos álbuns de família estarem cada vez mais raros?
Giselle: Eu acho que a fotografia digital é uma revolução, levou o acesso a todas as camadas e facilitou muito que se registre os momentos mais importantes e divertidos. Ver a frequência com que as pessoas imprimem suas memórias diminuir é algo que me deixa extremamente triste, pois somos todos feitos de histórias e não há nada melhor do que folhear um álbum antigo ou resgatar as fotos perdidas em baú. Somos feitos daquilo que contam de nossos pais e dos pais de nossos pais e assim por diante. Quando a geração de hoje tiver seus filhos, teremos uma lacuna gigantesca na história impressa e estes arquivos talvez estejam perdidos em alguma mídia digital antiga.

BL: Como o livro contribuirá para o seu trabalho como fotógrafa?
Giselle: O livro é um compilado de tudo aquilo que explico e ensino aos pais quando os fotografo. Ele não só ajuda a mostrar o quanto um fotógrafo especializado é importante para auxiliar os pais a identificarem as fases que passam rápido, como também a importância de ter registrado todo o amor que existe numa família visto pelos olhos de alguém de fora.

BL: Como saber qual é o melhor momento para fotografar uma criança? E para que ela não se assuste com a câmera?
Giselle: O melhor momento depende do que você quer registrar: ele pode ser o horário do sono como o pós sono com sorriso de felicidade; pode ser a birra por não querer o banho como a delícia da folia na água. O melhor momento é aquele em que a criança apresenta o comportamento que você quiser guardar e a melhor forma de a criança não se assustar com a câmera é deixá-la sempre à vista. Outra forma de os pequenos não estranharem a máquina é deixá-los tocá-la ou se ver na foto que aparece no visor.

BL: Em que situações a presença de um fotógrafo se faz necessária na vida familiar?
Giselle: Eu diria que um fotógrafo é tão importante no registro de um evento, como batizado ou aniversário, quanto no cotidiano. Registrar os acontecimentos de todo dia ou as brincadeiras que são feitas em cada família é de uma importância sem fim para guardar a história de todos, sem contar que reservar um dia para fotografar a família é promover um momento só deles, de interação e de alegria.

18 comentários

  1. Que lindo!! Resenha maravilhosa! Parabéns!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Joyce, esse livro deve ser um encanto só, ainda mais para quem curte fotografias. Não conhecia esse título da Belas Letras, mas já me interessei bastante. Adorei a entrevista com a autora também. Momentos especiais devem mesmo ser eternizados por fotografias, afinal de contas, as recordações ficam para sempre conosco.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  3. Que fofo esse livro, as mães irão amar, e com certeza são imagens de ótimos momentos para recordar :)

    ResponderExcluir
  4. Seu filho é lindo!! parabéns
    Eu fiquei sabendo desse livro no blog da editora e achei super bacana, o papai pop deu o que falar e rendeu ótimas fotos e essa fotógrafa teve uma excelente ideia ao montar esse livro cheio de fotos lindas e maravilhosas. Achei lindas as que você postou e me deu muita vontade de conhecer a obra.

    ResponderExcluir
  5. Gisele é uma simpatia e de um talento soberbo. Mega concordo com ela quanto a tirar fotos dos nossos pequenos. Eu tenho um filho d e8 anos e registro seus momentos a todo tempo. Construir lembrança no coração e nas páginas de muitos álbuns!!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi, Joyce! Tudo bem?
    Eu amo tirar fotografias! Durante a minha faculdade, tive que fazer muito isso e sempre achei muito mais difícil fotografar crianças. Achei muito interessante a entrevista também porque destacou isso de que agora, apesar das mães estarem mais disposta a tirar fotos de todos os momentos na vida de seus filhos (devido à praticidade que a fotografia digital oferece), é muito mais difícil de preservar essas fotos já que a maioria das pessoas não tem o costume de imprimir mais as fotografias. Isso me deixa muito preocupada também, pois sem dúvida será uma perda enorme para essas pessoas caso um dia a mídia de fotos digitais se torne ultrapassada. Enfim, gostei de conhecer o livro, amei a entrevista e me encantei com as fotos dos seus filhos, parecem adoráveis! Beijos! ^-^

    ResponderExcluir
  7. Oi Joyce, tudo bem?
    Olhando as fotos dá para perceber que a Giselle é realmente boa no que faz, hein? Quanto talento! Adoraria que essa mulher tivesse tirado fotos da minha infância, iria colocá-las em todo lugar, se deixasse.
    Eu adoro fotografar, principalmente minha cachorrinha pois sou completamente apaixonada por ela. Infelizmente não sou tão boa assim quanto Giselle mas espero melhorar um dia. Adorei suas fotos.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  8. Oie adorei a ideia do livro, como sou deficiente visual não costumo eu mesma tirar as fotos, mas sempre gosto de ter os momentos registrados, mesmo não podendo vê-los, e agora registramos aqui em casa muitos momentos lindos do meu afilhado. Adorei a entrevista da autora e assim como ela fico triste por as pessoas terem parado de pegar a foto física e deixarem só no digital.

    ResponderExcluir
  9. Oi Joyce me interessei bastante pela premissa desse projeto, principalmente porque tenho um bebê de dez meses e realmente, tem muita coisa que já não lembro e outras que deixei de registrar e me arrependo, a principio pensei que o livro seria uma especie de agenda para colarmos as fotos, mas se trás dicas também está valendo.

    Abçs
    Sou bibliófila

    ResponderExcluir
  10. Oi, Joyce.

    Eu não conhecia o livro, mas é bem legal a premissa do projeto. Assim, eu não leria ele no momento atual, mas quem sabe mais pra frente? Esse livro é ideal para quem gosta de fotografias e quem quer ter filhos ou já é mãe. Seu filho é lindo, parabéns!
    Amei a dica.

    Beijos!
    www.anebee.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oiee Joyce ^^
    Que livro mais fofo ♥ eu ainda não o conhecia, mas o achei lindo. Sei que não o leria, pois não combina muito comigo...haha' mas é mesmo muito lindo. Acho que, qualquer que seja o profissional que trabalha com crianças (médico, fotógrafo, professor), a maior dificuldade deve ser lidar com os pais *-*
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  12. Puxa vida, eu tenho dois filhos. O Cauã que tem seis anos e marina que vai fazer cinco o mês que vem e claro que como toda mãe coruja eu amo os fotografar e acompanhar através da fotografia o crescimento deles. Quando vejo as de bebe então, me dá uma saudade e como o tempo voa quando somos mães neh?
    Pela sua resenha e as fotografias do livro ele parece ser incrível mesmo, já me apaixonei e o quero para mim.., Achei muito Top a ideia da autora!
    E também quero te dar os parabéns pois seu filho é lindo e adorei a foto dele com o livro na mão!
    bjs

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Que coisa linda esse livro
    Gosto muito de fotografias e acho importante registrar vários momentos das crianças.
    Sinceramente amei tudo no seu post. Muito fofo!
    Vou indicar o livro para minha prima que deve ganhar bebê por esses dias.
    Amei a dica.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  14. Oiii!!!

    Eu não conhecia esse livro mas gente que amoooor <3 <3 <3 <3
    AMO fotos, mesmo não sendo uma grande fotografa e acho que é uma linda forma de se expressar. Ficou um trabalho maravilhoso e espero de coração ter em breve!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  15. Olá Joyce,
    Ainda não conhecia esse livro, mas que amor <3
    Eu amo tirar fotografias, dos outros e de coisas, nunca de mim haha.
    Adorei você ter trazido fotos do seu bebê (que é lindo, parabéns). Também adorei a entrevista.
    Já anotei a dica, pois é uma preciosidade que merece, com certeza, um espaço na estante.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  16. Ainda bem que agora com a tecnologia já se pode ter muitas fotos sem ter que parar para ficar fazendo pose como antigamente que não dava para tirar foto correndo porque criança se mexe de tudo que é jeito. Lembro daqueles caderninhos que anotava tudo, tamanho do pé, fio de cabelo e achava fofo. eu quase não tenho retratos da infância e adoraria tê-las. Acho que fotografar é realmente algo mágico.

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.amigasemulheres.com

    ResponderExcluir
  17. Mas que lindo livro, repleto de intensidades e sentimentos, achei super interessante a ideia da autora. O mais legal é saber que fotografar é algo que foi influenciado pela família dela desde a infância, realmente bem tocante, esses laços familiares que temos desde pequenos marcam para sempre. Eu não leria o livro por não ser o momento certo, mas quem sabe um dia? ahahha
    ótima entrevista.
    abraços.

    seforasilva.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Olá *--*

    Mas que graça em forma de livro, não o conhecia mas adorei essa interação que ele trouxe para você. Ele parece ser encantador e se eu tiver oportunidade com toda certeza irei ler <3

    Bjos
    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir